Imagem capa - Diz Amém que a tese vem.  A luta pelo título. por Sergio Ricardo
Lindas histórias

Diz Amém que a tese vem. A luta pelo título.

Começo a discorrer por estas linhas, explicando que o título escolhido para este post mais que especial é uma licença poética para descrever, e de certa forma associar, o que na minha opinião, Ítalo Ferreira, primeiro medalhista olímpico no surf e a mais nova Doutora em Literatura Hispânica, Desirée Climent, minha esposa e mãe do Valentín, tem em comum.


Já disse em muitas oportunidades durante a minha vida o quanto eu AMO o surf. Tanto o surf  quanto a vida, nos permintem vivenciar momentos extremamente belos e emocionantes mas você também precisa estar preparado para encarar situaçoes muito adversas. Porém, quando se tem determinação e fé, aí não tem pra ninguém. 


Ítalo Ferreia, em entrevista após sair do mar e já sabendo que tinha conquistado a primeira medalha de ouro no Japão, disse: "Eu vim com uma frase para o Japão. Diz Amém que o ouro vem." Essa frase mexeu muito comigo e na mesma hora associei as palavras do Ítalo à trajetória que Desirée percorreu até alcançar o seu objetivo. O título acadêmico de Doutora!


Assim como o surfista, ela também não teve uma história de vida fácil.  Muito pelo contrário. Só não irei entrar em detalhes por dois motivos: o primeiro é porque por mais que eu tente explicar, só ela sabe realmente o quanto sacrificante foi chegar até aqui. Afinal, trabalhar em três redes de ensino, ser mãe, esposa e fazer sem intervalo pra respirar, o mestrado e o doutorado, de fato, acredito que a maioria de vocês, no mínimo não conseguiria sequer imaginar isso sendo possível. O segundo motivo é simplesmente pelo fato de que em nenhum momento, durante toda a sua trajetória de vida, se colocou como vítima das circunstâncias devido as suas dificuldades. Ao seu lado por mais de treze anos, posso asseguar que isso não faz parte da personalidade dela. 


Ítalo disse também durante a entrevista (assita na íntegra) que todos os dias antes de sair em direção a praia para participar das baterias, ele fazia a sua oração e se concentrava na tal frase que ficou junto a cabeceira de sua cama. E assim da mesma forma, durante todos os dias antes de estudar e pesquisar sobre sua tese, Desirée também orava e pedia a Deus que a iluminasse. 


Bem, gostaria de ressaltar que além da presença de Deus, exitem mais dois pilares de suma importância para que essa mais recente conquista fosse alcançada. A família e o conhecimento. E quando digo família, incluo os verdadeiros amigos. 


Nada nesse mundo se constrói sozinho. Todos nós em algum momento precisamos de uma ajuda. E a Desirée, Graças a Deus sempre teve muita ajuda da família e de amigos. Soube aproveitar e também soube reconhecer e retribuir a altura. Os agradecimentos especiais estão devidamente descritos na tese. clique aqui e confira.


E pra finalizar, quem somos nós sem o conhecimento. Ele simplesmente nos liberta. Na fotografia feita por mim nesse post, está apenas uma pequena parte do material que foi utilizado na tese. Tem muuuuito mais em pdfs e outros tipos de mídia. Sem contar os semirários, simpósios, congressos e etc.


A jornada foi árdua, cheias de lágrimas pelo caminho. Muitas delas ainda rolam nesse exato momento e ainda rolarão. Mas para nosso conforto, elas são agora de muita alegria. Então chore meu amor. Eu, Valentín, Peludín (nosso amado spitz) e todos que estiveram ao seu lado até hoje, continuarão sempre torcendo por você. Porque simplesmemte te amamos.


Certamente esse post poderia ser o mais longo que já escrevi por aqui mas agora é hora de celebrar. 


Parabéns, Doutora Desirée Climent! Esse título é seu e sempre será.


Se você leu esse texto até aqui e precisa de um incentivo a mais pra começar a lutar por algo, diga pra si mesmo: POSSO, TUDO POSSO. Assista o vídeo abaixo, faça sua parte e confie Deus.